Diversidade, Equidade e Inclusão no Varejo

A palavra diversidade deriva do latim diversitas, atis que significa alteração, mudança, diferença, no dicionário da língua portuguesa é a característica ou estado que é diverso, diferente, diversificado e não semelhante.

A palavra diversidade pode ser usada em diversos sentidos: diversidade cultural, diversidade das espécies, diversidade de gêneros, diversidade de raças, diversidade de argumentos e muitos outros.

Neste texto, vamos abordar a Diversidade, Equidade e inclusão nas organizações, seja ela com ou fins lucrativos, com ênfase nas empresas do segmento varejista. A diversidade e inclusão nas organizações, significa que a empresa tem em seus quadros funcionais pessoas de diversas características, de diferentes etnias, gêneros, idade, raça, cultura e religião.

O tema tem sido objeto de preocupação das empresas, por exigência e para melhorar a reputação junto a sociedade. Mas a diversidade no local de trabalho proporciona diversos outros benefícios nos resultados das empresas. Não é somente uma atitude politicamente correta é, também, uma vantagem competitiva concreta. Empresas que tem um ambiente de trabalho mais diversificado obtém ganhos de mercado e tem melhores lucros.

NRF 2022

No Bia Show da NRF de 2022, maior evento de varejo do mundo, que ocorre todos os anos na cidade de Nova Iorque, do qual participamos de forma ininterrupta nos últimos 16 anos, o assunto tem sido recorrente e em 2022 ganhou um destaque especial, com a própria NRF (National Retail Federation) fazendo um Big Show inclusivo, com a maioria dos palestrantes e entrevistadores negros.

O evento contou também com diversas palestras sobre o tema Diversidade, Equidade e Inclusão, denominada DEI, nas quais foram mencionadas a importância do tema que deve fazer parte da estratégia do negócio.

Alguns benefícios da DEI nas empresas:

· Perspectivas e olhares diferentes: pessoas de origens e características diferentes tem a probabilidade de terem experiências e habilidades diferentes;

· Menor rotatividade de pessoal: a diversidade e inclusão fazem com que os colaboradores se sintam aceitos e valorizados e felizes no local de trabalho, reduzindo o nível de rotatividade e proporcionando um maior engajamento dos colaboradores;

· Inovação: empresas com diversidade e inclusão são duas vezes mais inovadoras que suas concorrentes no mercado, no qual atua;

· Lucro: segundo a Boston Consulting Grupo, que fez uma análise de 1.700 empresas em oito países, com diferentes segmentos de mercado e tamanho de empresas, o aumento de diversidade nas empresas tem proporcionados efeitos diretos nos resultados, com receita 19% maior devido, principalmente a inovação e tomadas de decisões mais rápidas;

· Reputação: quanto mais rica for a diversidade da empresa, maior a identificação dos consumidores com a marca, para fazer parte dela e consumir seus produtos;

· Atrai melhores candidatos: a diversidade faz com que as empresas se tornem mais atraentes para os profissionais. Segundo pesquisa realizada pela Glassdoor, 67% dos entrevistados mencionaram que uma empresa com um quadro de funcionários diversificado é um diferencial importante quando se considera uma oferta de emprego.

Para os diversos gestores que abordaram o tema, a DEI não é somente a diversidade de sexo, raça e cor, mas também diversidade cultural, tendo em vista que cada pessoa é diferente uma da outra, em função dos seus valores, cultura familiar e outros aspectos.

Para Kevin Johnson, CEO da Starbucks “como seres humanos fomos criados para interagir uns com os outros. É assim que obtemos a energia” para ele não importa se a Starbucks seja uma organização gigantesca, com mais 31.000 lojas em todo o mundo e 400.000 parceiros (empregados), atendendo mais de 100 milhões de clientes por semana e no foco disso tudo está a conexão humana. E para isso a diversidade é fundamental.

Para Shannon Schuyler, diretoria de finalidade e inclusão da PwC “As mudanças demográficas e sociais estão fazendo com que os varejistas avaliem suas abordagens para formar equipes com diversidade cultura no local de trabalho”. Alguns dos maiores movimentos da diversidade e inclusão vêm de mulheres executivas do varejo. Segundo Shannon, a diversidade e inclusão estão se tornando fundamentais. 80% das compras são feitas por mulheres nos EUA e apenas 12% dos executivos do varejo são mulheres. Para ela “a diversidade está se tornando o centro, para o sucesso que teremos como sociedade e o que vamos fazer para mudar isso, porque não podemos mais fingir que isso não está acontecendo”.

Em 2020 a Macy’s, maior varejista de moda dos EUA anunciou uma meta de obter 30% de representação étnica no nível de diretor sênior e ainda criou um programa de desenvolvimento para o ano de 2020, todo focado na diversidade étnica, chamado Mosaic.

Para Ajay Banga, CEO da Mastercard, também um dos palestrantes do Big Show (2020) para inovar é preciso ser humilde e humildade é confiança de um lado e empoderamento do outro. Sem empoderamento não existe inovação e a diversidade é importante e fundamental para que a inovação aconteça. É importante observar que ninguém é igual, seja pela formação cultural, valores e muitos outros aspectos. Diversidade, Equidade e Inclusão com empoderamento é o ambiente propício para a inovação.

O Walmart, maior varejista do mundo e maior empregador privado dos EUA, vem investindo pesado no tema DEI, segundo John Furner, CEO Walmart e presidente da NRF 2022/2023, o setor de varejo precisa ser muito intencional e muito transparente sobre suas iniciativas de DEI, Furner mencionou (NRF 2022) que 56% das novas contratações do Walmart são de pessoas de cor; 44% das pessoas promovidas à gerência em 2021 são mulheres e, dessas, 39% são pessoas são negras e 18% são latinas.

Segundo Judith McKenna, presidente e CEO do Walmart internacional, que administra 6 mil lojas em 25 países, “as empresas estão sendo chamadas para propósito, diversidade e inclusão”. A morte de Jorge Floyd criou um espírito voltado para mudança, exigindo mais diversidade, inclusão e preocupação com o meio ambiente. É preciso criar equilíbrio entre lucro, propósito e prioridade para empregados, fornecedores e comunidades.

No Big Show da NRF, diversas frases de efeitos foram proferidas, dentre as quais: “Temos a responsabilidade de sermos agentes das mudanças, promovendo a diversidade em nossas empresas e aplicando recursos na educação e no avanço do diálogo sobre justiça social”, disse Mak George. “Não é somente questão de fazer o que é moralmente correto: é preciso encarar a questão como um problema de negócio, como método, investimento e construção do Sponsorghip pela liderança, utilizando dados para tomar as melhores decisões e construir empresas mais saudáveis”, afirmou Christiane Pendarvis, copresidente e Chief Marketing e Desing Officer da Savage X Tenty.

Pelos dados aqui apresentados, e por diversos estudos realizados sobre a mudança de comportamento do consumidor, a sociedade está exigindo cada vez mais que as marcas se posicionem com relação as questões sociais, como Diversidade Equidade e Inclusão, seja na maneira de se comunicar com os seus públicos, em suas culturas, seus processos internos ou por meio de produtos ou serviços que oferecem.

A DEI no Brasil

O Brasil é um país de contrastes é ao mesmo tempo, rico e podre, urbano e rural, conservador e liberal. Sua diversidade se observa no clima, na geografia, na população, na música, na religião e em diversos outros aspectos. A cultura brasileira recebeu contribuições dos europeus, africanos e asiáticos, portanto, a diversidade brasileira é complexa a ampla e nesse contexto o grande desafio dos gestores e brasileiros e como tornar as empresas autenticas representantes da diversidade da nossa sociedade.
Este é o grande desafio para reflexão.

Juedir Teixeira
Ph.D. em Gestão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.