Buscar
  • Prof. Dr Juedir Teixeira

MÉTRICA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ORGANIZACIONAL

Um dos grandes desafios da Gestão nos dias atuais, em um mercado cada vez mais competitivo é como medir o desempenho da empresa, para saber onde está e aonde pretende chegar e quanto falta para alcançar á meta desejada em um determinado tempo, para melhorar a performance da empresa. Outro desafio é avaliar o desempenho de determinado gestor, quando a sua unidade de negócio ou departamento vai muito bem em certos indicadores, médio em alguns e ruim em outros.

Um dos temas que tem sido debatido no Big Show da NRF (National Retail Federation), maior evento de varejo do mundo que ocorre todos os anos na cidade de Nova Iorque, nos EUA, tem sido a falta de métricas para avaliação de desempenho ou performance das empresas. Ira Calish, Chefe de Economia Global da Deloitte, que participa todos os anos do referido evento, tem mencionado que as empresas têm investido pesadamente em tecnologia e que a produtividade não tem aumentado, sendo necessário e urgente o uso de métricas para medir e melhorar os resultados.

Para Deming, um dos maiores especialistas em gestão pelo qualidade total de todos os tempos, “Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende e não há sucesso no que não se gerencia”(William Edwards Deming).

Segundo (NORTON e KAPLAN 1997) , os criadores do Balance Scorecard _ BSC, a visão estratégica da empresa deve ser definida dentro de quatro perspectivas, conforme demonstrado na figura a seguir:


Até o surgimento do modelo BSC as empresas eram avaliadas somente pelo desempenho financeiro, quando na verdade, ele é consequência do cliente satisfeito, do aprendizado e crescimento e da melhoria dos processos internos ou visto de outra forma, pela melhoria dos processos internos, do aprendizado e crescimento e do cliente satisfeito.

Como vivemos a era da centralidade no cliente, ou seja, tudo que é feito na empresa deve ser com base nas necessidades e expectativas do cliente, que estão em constantes mudanças, a visão estratégica deve ser definida, sempre que possível, na perspectiva do cliente. Por exemplo: a visão estratégica de logística vista na perspectiva financeira – entrega dos pedidos com o menor custo possível. Dentro da perspectiva do cliente – entrega do pedido perfeito, com o menor curso possível.

Para os referidos autores, para cada visão estratégica devem ser definidos os objetivos, os indicadores, as metas e as iniciativas ou estratégias, conforme figura seguir:


Para os autores em questão a gestão por indicadores é tão importante que se não souber como medir para saber se está indo em direção a meta é melhor que a ação não seja realizada.

Segundo o modelo BSC, toda a ação estratégica deve ter objetivos claramente definidos, indicadores para medir os resultados, para saber se está indo em direção as metas, metas claramente identificadas com datas e valores (objetivos quantificados) e iniciativas ou estratégia de como as metas serão alcançadas.


O modelo BSC identificou a necessidade da adoção de indicadores de desempenho, porém não chegou ao nível de mencionar quais os indicadores, qual a importância de cada um para o sucesso de cada negócio e nem como aplica-los na prática do dia a dia.

Os dados tornaram-se tão importante que as empresas estão criando, nas suas estruturas organizacionais, o cargo de diretor de dados, com o objetivo de criar nas empresas métricas de avaliação de desempenho e de como entender os clientes, para poder atender as suas necessidades e expectativas em constantes mudanças.

Ao longo de mais de 40 anos como executivo de grandes empresas e também como professor e consultor, sempre identifiquei a grande necessidade de criar uma métrica de avaliação de desempenho organizacional, que fosse comprovada cientificamente e de fácil aplicação pelas empresas.

Sabendo da importância do assunto para a melhoria da gestão das empresas e organizações, na minha tese de Doutorado em Administração escolhi o tema para a minha linha de pesquisa e, construir um modelo denominado MODELO DE AVALIAÇÃO DE AVALIAÇÃO BASEADO EM INDICADORES INTEGRADOS DE DESEMPENHO PARA EMPRESAS DO SEGMENTO DO SUPERMERCADOS, que pode ser considerado um desdobramento do modelo BSC para aplicação prática nas organizações. . Em função da necessidade da delimitação do campo de estudo de um trabalho científico o modelo foi construído para o segmento de supermercados, mas na verdade pode ser aplicado em qualquer tipo de empresa e organização, com e sem fins lucrativos. O resumo do modelo é o seguinte:


Mas, afinal de contas o que significa Indicadores de Desempenho também chamados de KPI? São métricas, preferencialmente numéricas, que quantificam sua performance de acordo com os objetivos organizacionais. Para que os indicadores tenham uma contribuição significativa e efetiva no controle da gestão da empresa, primeiro é necessário entender o planejamento estratégico e ter objetivos claros no ato de definição das metas que devem ser alcançadas. Com base nisso, a elaboração e a gestão dos indicadores de desempenho devem ser direcionadas para o monitoramento da evolução dos resultados da empresa, servir como referência para a tomada de decisão e estabelecimento de estratégias de melhoria.


Com base no referido modelo, estamos construindo um SUPER APP, que em breve será disponibilizado no mercado, denominado OVERMETRIC – MÉTRICAS E INTELIGÊNCIA DE DADOS, uma inovadora ferramenta estratégica de gestão, para avaliação e melhoria de performance empresarial, no qual o gestor terá todas as informações sobre gestão do seu negócio disponível na palma da sua mão 24 horas por dia.

O OVERMETRIC tem integração com todos os ERPs e mesmo que a empresa não trabalhe com gestão por indicadores o aplicativo calcula todos os indicadores. Ele já vem formatado com os indicadores mais adequados para medir o desempenho dos diversos setores funcionais da empresa, com os seus respectivos indicadores e pesos, em função da importância de cada indicador para o sucesso do negócio. Podendo o gestor alterar o nível de importância em uma escala de 0 a 10.

Porém, se o gestor desejar usar outros indicadores ele pode escolher dentre um naipe de mais de 60 indicadores, que são universalmente adotados por empresas de diversos segmentos. A configuração é de fácil aplicação e o gestor pode fazer a customização de acordo com a sua conveniência.

Após definidos os indicadores, pesos e metas o software faz todos cálculos de forma automática e o gestor tem, numa única tela, o resultado dos setores e da empresa como um todo, com indicação de quais indicadores e setores, estão puxando os resultados para baixo ou para cima e o que precisa fazer para melhorar o resultado de cada um.

O OVERMETRIC, além de oferecer oportunidade de melhoria dos resultados operacionais da empresa, tem como objetivo garantir a sustentabilidade do negócio, com indicadores de desempenho para atender a demanda dos quatro grupos de interesse de qualquer empresa:


Qualquer empresa para ser sustentável, ou seja, garantir a sua sobrevivência por logo tempo, precisa ter o seus clientes satisfeitos, oferecendo produtos e serviços de qualidade e com excelente experiência de compra. Para tal precisa ter os seus colaboradores satisfeitos, proporcionado excelente ambiente de trabalho, reconhecimento e oferendo oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissional. Para satisfazer os proprietários a empresa precisa dar lucro e precisa atuar de forma harmonioso da sociedade onde atua e ter um propósito, além de oferecer produtos e serviços.


Juedir Teixeira

Ph.D.

249 visualizações
Fale conosco

21 99966.6701 (Whatsapp)

 

contato@jtbconsultoria.com.br

  • White LinkedIn Icon
  • White Facebook Icon